Cefaleia x bons hábitos

Tem dias que ela chega sem aviso e sem convite e, como uma visita folgada, se instala e demora pra ir embora. É, amiga… Quem nunca se incomodou com a dor de cabeça que atire o primeiro analgésico! Segundo a Organização Mundial da Saúde, estima-se que mais de 90% das pessoas sentem ou sentiram dor de cabeça, também conhecida como cefaleia, em algum momento da vida. A causa pode estar intimamente relacionada ao seu estilo de vida. “O ideal é evitar comidas muito gordurosas e condimentadas, sol excessivo, sedentarismo e evitar jejum prolongado. Esses são fatores de risco para desencadear uma crise de enxaqueca”, exemplifica Valéria Bahia, neurologista do Hospital Samaritano de São Paulo.

Como evitar
É importante lembrar que, se as dores de cabeça são frequentes, é indicado procurar um médico para avaliar o que está causando as crises. Mas, de modo geral, um estilo de vida saudável pode manter você afastada da cefaleia. “Existem vários bons hábitos que reduzem a frequência e intensidade”, diz João Rafael Argenta Sabbag, neurologista do Hospital VITA Batel, em Curitiba.
O neurologista indica as principais rotinas que todos deveríamos incorporar na nossa vida para promover a saúde. Vamos conhecer?
– Opte por uma alimentação balanceada. Procure alimentar-se em intervalos pequenos, a cada três ou quatro horas, e evite consumir muitos alimentos gordurosos e condimentados. “A ingestão de queijos, chocolates e bebidas alcoólicas, como o vinho, favorecem a ocorrência de cefaleia, entretanto, não são a causa do problema”, diz João.
– Pratique exercícios físicos regularmente. Escolha uma atividade prazerosa, assim você relaxa e aumenta a probabilidade de continuar fazendo. “O relaxamento por meio de atividades físicas (exercícios aeróbicos, principalmente, pois aumentam a quantidade de oxigênio disponível para o cérebro e a musculatura) favorece a reversão das mais diversas respostas físicas exibidas pelo corpo, quando existem situações gatilho”, avalia o médico.
– Combata o estresse. Evite situações e atividades que gerem ansiedade ou irritabilidade. “A liberação de adrenalina devido à irritabilidade, ansiedade, estresse, distúrbios do sono, hipertensão arterial etc. favorece a atividade do sistema nervoso autonômico simpático com vasoconstrição e contração da musculatura, resultando em crises de cefaleia”, explica o especialista.
– Durma bem. Noites bem-dormidas, com sono de duração e qualidade adequadas, também ajudam a controlar as dores de cabeça.
Para saber mais acesse: www.dorflex.com.br
Fonte: www.atmosferafeminina.com.br