História

O ano de 1987 foi intenso no mundo inteiro e para os brasileiros… fomos bem nos esportes mundo afora, mas perdemos o poeta Carlos Drummond de Andrade. Já no Amazonas tivemos a criação dos municípios de Apuí, Careiro da Várzea e Guajará. E em Manaus?

No dia 19 de dezembro, no bairro de Santo Antônio , um grupo jovens foi reunido para  realizarem formações à catequistas da Paróquia de Santo Antônio. Nesse momento surgiu o JCC.

Em 1 Coríntios 2.9 está escrito que “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou o coração humano, o que Deus tem preparado para aqueles que O amam.” Esse amor por Deus começou a ser manifestado pelo nome de batismo do grupo, jovens caminhando com Cristo, e o como procede o decorrer dessa história é o que prescreve o que Deus tinha preparado a eles e como surge a comunidade católica Despertai, que faz parte da promessa.

Devido o compromisso de seus membros e o zelo pela qualidade de seus serviços, nos anos seguintes, o JCC foi conquistando espaço e crescendo na comunidade; tornou-se mais independente, passando a tomar suas próprias decisões. Estando mais a vontade para atuar, aos poucos foi se formando outra identidade importante dentro do grupo – a espiritualidade, exercida através da celebração litúrgica, dos sacramentos, da música, da oração e da leitura orante da Palavra.

Porém, como qualquer grupo de jovens tem que chegar ao seu fim, em novembro de 1993 foi marcado o que poderia ser o último encontro deles. Decididos que “a roupa suja seria lavada” se reuniram, mas antes de conversarem decidiram fazer um momento de adoração ao Santíssimo, sábia decisão, o ambiente tornou-se propício ao perdão, contrição e amor um pelos outros. Deus encheu o coração daqueles jovens com um grande avivamento e uma visão espiritual de muitos jovens louvando a Deus.

Mas será mesmo que todo grupo de jovens deve chegar ao seu fim?

Não havia mais limites para o JCC depois daquele momento, se encontrando semanalmente na paróquia de Santo Antônio, procuravam sempre crescer ainda mais em espiritualidade, e orientados, fundamentando todas suas ações no CIC, Catecismo da Igreja Católica.

Um daqueles jovens era o José Geraldo, mas conhecido como Rangel, reconhecido como nosso fundador, pois esteve presente em cada momento a trajetória do JCC. Nosso grande exemplo de servo humilde e de liderança resiliente, tomou posse das promessas de Deus em sua vida, assumiu ministérios, lideranças, a confiança e admiração de muitos, desde seu chamado até hoje, nunca abrindo mão de ser canal da graça de Deus.

Junto a ele, outros jovens foram também protagonistas desta história, porém alguns precisaram se ausentar e outros continuam até hoje, entre eles estão duas jovens que ajudaram para concretizar essa grande obra, Francisca Ramos e Kelly Barcelos, hoje reconhecidas como cofundadoras da comunidade, pois foram e continuam sendo esteios firmes da obra de Deus até hoje.

O grupo JCC era muito dinâmico, divertido, jovial, além de ser muito espiritual e talvez não tenha agradado a alguns, mas era evidente o crescimento místico do grupo associado aos serviços prestados por eles tanto externamente nos eventos paroquiais, quando nos internos entre eles mesmo, que são:

  • Evangelização em família, onde o grupo faz uma visita na casa de cada participante e com muita alegria, louvor, reflexão da Palavra e partilhas, a família do participante conhece o grupo e o grupo conhece a família.
  • Evangelização social, pelo qual o grupo visita instituições sociais e levando a Palavra de Deus para àquelas as pessoas que lá estejam se sintam mais feliz e confiante. Esse serviço também oferece sopa as pessoas carentes, geralmente moradores de rua.
  • Evangelização de rua, a favor de visitarem a casa das pessoas que fazem parte da comunidade local com louvor, reflexão da Palavra e partilhas pessoais.
  • O grupo começou a fazer também formações para seus membros e surgindo o Despertai, um retiro espiritual de evangelização para outros jovens conhecerem a mesma felicidades que vivem rotineiramente.

No Despertai de 2001, o pároco local, Pe. Geraldo Ferreira Bendarahn, durante sua pregação, nos orientou: “Este trabalho precisa ser institucionalizado para que não pare por aqui e nem se acabe quando os membros mais antigos tiverem que deixá-lo”. A exortação de Pe. Geraldo veio casar com o nosso desejo de avançar “para águas mais profundas”.

As águas mais profundas seria este trabalho ir além do JCC?

Em 1998 surgia um grupo de jovens pela PJ, pastoral da juventude, da comunidade Imaculado Coração de Maria, na paróquia Cristo Libertador, situados na Compensa 1. Os irmãos Marcelo e Jaime Menezes junto com seu primo Nazário Menezes foram os fundadores do grupo e ainda participam até hoje, eles foram uns dos responsáveis em batizar o grupo como JUSC, Jovens Unidos a Serviço de Cristo. O grupo crescia forte com seus serviços locais e era reconhecido em toda a paróquia por suas participações ativas nas atividades paróquias. Porém o grupo estava chegando também nos seus dias finais, sendo que já havia até data para o enterro do grupo.

Mas Deus continuava escrevendo essa história e fez o Marcelo Menezes conhecer a Rejane Azevedo, participante do JCC. Foi então que através desse romance o JUSC conheceu o JCC, e antes que fosse o fim do JUSC, seus membros fizeram as formações dada pelo JCC, tal qual o Despertai e a formação que avivou novamente o JUSC, o Pacto.

Depois da troca de experiências entre os grupos, o JUSC passou a conhecer e aplicar então a metodologia usada pelo JCC, ganhando um objetivo de existência, evangelizar a juventude com amor. Com o novo ardor, se destacaram ainda mais na paróquia e já estavam nesse período com 6 anos de idade. E o JCC? Estavam com 17 anos de caminhada.

Quem foi que falou que o grupo de jovens deve ter fim?

A partir dessa pergunta e do incomodo de ver tantos grupos de jovens dentro da igreja nascerem, crescerem e morrerem surgiu a necessidade de mudar essa realidade e com a união dos grupos foi formado o Movimento Jovens Caminhando com Jesus. Essa metodologia precisava ser apresentada a outros grupos de jovens para que os seus trabalhos de evangelização também não tivessem um fim.

No dia 05 de Maio de 2005, o Arcebispo de Manaus Dom Luiz Soares Vieira, conheceu toda a metodologia de evangelização da juventude apresentada por esses jovens e a vontade de mudar a realidade dos grupos de jovens em Manaus foi manifestada de maneira transparente. A exaltação foi grande quando o Dom Luiz  autorizou o Movimento Jovens Caminhando com Cristo para atuar na Igreja de Manaus com a denominação de COMUNIDADE CATÓLICA DESPERTAI.

A metodologia que a CCD emprega é totalmente elaborada para atender os anseios e necessidades dos Jovens, os grupos acolhem os jovens e desenvolvem com eles um trabalho de sensibilização social e valorização da vida. É um serviço com base numa forte espiritualidade e que visa o resgate do jovem em diversas dimensões – família, formação, trabalho e sociedade. São orientados a lerem a Palavra, partilhar suas alegrias e tristezas, a terem um discipulato, comparecer nas Celebrações Eucarísticas com seu grupo, trabalhar em equipe, desenvolver o líder presente em cada jovem, apoiar os estudos e a valorizar o próximo. Toda a história da comunidade agregada ao amor de evangelizar os jovens é o que corresponde ao nosso carisma, muito mais do que uma frase, mas atitudes desenvolvida em cada pessoa que deseja de fato viver a nossa vocação, que é:

 

Viver em unidade, segundo a Palavra, em constante oração, buscando a santidade e dando testemunho de vida e de Cristo segundo a fé Católica para assim servir a juventude com amor para fazê-los se apaixonar por Jesus.

 

Não buscamos na prática pessoas para fazer parte de nossa comunidade, nosso intuito é ajudar na evangelização e a partir daí oferecer o espaço para que a pessoa reflita de fato se é o desejo do seu coração viver essa vocação. Todavia, todos os jovens que nos conhecem são orientados a servirem no seu grupo, atuando firmemente na sua comunidade local.

A comunidade católica despertai tem como seu principal propósito o assessoramento aos grupos de jovens com incentivo, dicas, soluções e todo o acompanhamento que envolve o discipulado dos assessores e os coordenadores de grupo.

Ainda hoje os grupos são orientados a terem as evangelizações de família, social e rua, tal como o louvo, a leitura da Palavra, a partilha pessoal e a integração de seus membros, do mesmo modo a participação efetiva nas missas e eventos em suas comunidades locais.

Hoje a comunidade assessora 19 grupos de jovens por toda a cidade de Manaus. Você pode conferir sobre eles clicando AQUI. O mais antigo deles, JCC, já possui 31 anos, o JUSC é o segundo mais antigo com 20 anos e o terceiro é o JERC, com 11 anos.

A comunidade também oferece espiritualidade com adorações ao Santíssimo semanais, experiência de fé sem igual que pode ser vivida a todos que se interessarem em ter um momento íntimo com Jesus.

E desde o JCC, a CCD oferece as formações, tanto de edificação quanto de avivamento espiritual. O Despertai, nosso carro-chefe possui algumas curiosidades como sua primeira edição foi em 1992 e foi o nome que serviu de inspiração para o nome desta comunidade. As formações são experiências de verdadeiros encontro com Deus, onde a juventude se depara com ensinamentos de vida e para a vida, ganham propósitos de vida, visão espiritual, unção do Espírito Santo e a alegria do Senhor.

Atualmente a comunidade possui mais de 10 formações que se revesam ano após ano, sendo somente o Despertai que acontece todos os anos. Se quiser saber mais sobre nossas formações clique AQUI.

Há 13 anos a frase Buscando a Santidade sem Medo está junto com os jovens ousados que tomaram para si a alegria e entrega verdadeira à evangelização da juventude com muito amor.

 

A CCD é uma associação civil de direito privado, de caráter religioso, social e filantrópico, composta de fiéis leigos católicos (Cânon 215 do Código de Direito Canônico), de âmbito estadual, com grupos associados e sem fins econômicos.